terça-feira, 4 de novembro de 2008

O sistema político americano não é uma democracia!

Proponha-me fazer um levantamento das excentricidades do sistema político americano para apoiar esta tese no entanto são tantas que deixo esse trabalho para quem pensa o contrário!

8 comentários:

Anônimo disse...

O sistema político americano é constitído por numerosos (sub)sistemas. Nem todos são uma aberração. Além disso, é necessário não esquecer, no que respeita às eleições presidenciais, que o americanos estiveram a escolher um governo, visto tratar-se de um sistema presidencialista. É com este tipo de sistema político que os USA devem ser comparados e não com sistemas como o português. Este serve apenas de referêcnia. Para elegermos a Assembleia da República, também há votos de portugueses que valem mais do que os dos restantes, só para exemplificar. Continue. Excelente blogue.

amsf disse...

Ignoremos a aberração que são as primárias e os "Caucus" e passemos à frente!

Já imaginaram um sistema eleitoral em que a candidatura do presidente da república portuguesa implicasse que o candidato entregasse em cada distrito do país um "abaixo assinado" que poderia variar entre 1% e 10% de eleitores do respectivo distrito. Cada estado tem leis especificas e diferentes em relação aos passos burocráticos que um candidato tem que dar para que o seu nome conste dos boletins de voto.

Alguém ouviu falar nos candidatos Ralph Nader e Bob Barr?! Estes candidatos concorreram apenas em alguns estados porque a sua "máquina" não tinha capacidade para cumprir as especificidades de cada estado para que pudessem ser candidatos em cada estado.

Simplificando e abreviando, como é que um país tão grande e com pessoas de todas as raças, religiões, origens, etc só consegue ter, sistemáticamente, dois partidos!?


Os EUA fazem-me lembrar uma empresa que teria descoberto uma nova tecnologia, investido bastante na mesma e que depois não teria teria capacidade para aproveitar os desenvolvimentos subsequentes pois o forte investimento inicial não lhe permitiria abdicar dessa versão inicial da tecnologia!

Anônimo disse...

Ralph Nader e Bob Barr. Além destes dois, ainda houve outro 'candidato' que foi votado. Não me recordo o Estado, nem a localidade, mas é numa zona em que o eleitor, além dos nomes dos beletins, podem votar em quem lhes der na cabeça. Podem escrever no belitim: fulano de tal, que vive em tal sítio e tem tal profissão.
Não se deve comparar um distrito portugês com um Estado norte americano. A comparação seria a da eleição de um presidente europeu. Também haveria diferenças entre os diferentes Estados, ainda que não tão idiotas como as dos USA. De resto, quanto ao Ralph Nader é bem feito. Foi ele e as fraudes eleitorais que tiraram a vitoria ao mr. Gore. Al.

Anônimo disse...

Também me arrepio quando penso que houve Presidentes eleitos que não tiveram mais votos que outros.
Por outro lado, as eleições estão reduzidas a 2 opções. As outras constituem adereços da democracia.
Ser comunista nos USA ainda é anti-patriótico. Foram muitos anos de consumismo, como forma de vida...
Roberto Robles

amsf disse...

Haverá muitas pessoas que pensam que a eleição de Bush tem origem numa fraude - houve alguns casos - mas a questão é que o sistema americano permite que o candidato com menos votos chegue à presidência! O sistema americano é tão complexo e tão diferente do europeu que a selecção não é feita pelos eleitores mas a montante pelas leis eleitorais de cada Estado!

Imaginem o esforço titânico que alguêm que se queira candidatar à presidência dos EUA tem que fazer! Ter que apresentar em todos os Estados um "abaixo assinado" com 1% a 10% do eleitorado registado nesse Estado! Direito de antena?! Querias?! Qualquer mensagem eleitoral é feita pelo candidato e emitida como se de publicidade comercial se tratasse! O novo presidente gastou nesta campnha - segundo ouvi na CNN - 1600 milhões de dólares!

Se isto é um sistema democrático suponho que o sistema cubano também o é. Neste sistema qualquer um pode candidatar-se desde que o partido único o aceite na sua lista! Depois fica ao critério do eleitorado eleger este ou o outro que consta da mesma lista!

amsf disse...

É só para lembrar àqueles que pensam que a América mudou, que com a eleição presidencial houve simultâneamente referendos para abolir os casamentos gay na Califórnia, Florida e Arizona! Nesses referendos os eleitores votaram pela abolição deste tipo de casamentos que tinham sido autorizados durante o ano de 2008 pelo Supremo Tribunal!

Alexandro Pestana - www.miradouro.pt disse...

Sócrates diz que Madeira sai beneficiada com pagamento de 256 ME de dívidas às empresas:

Lisboa, 05 Nov (Lusa) – O primeiro-ministro, José Sócrates, destacou hoje que a Madeira sai beneficiada com o programa de pagamento das dívidas do Estado às empresas, frisando que o valor da dívida daquela região é de 256 milhões de euros.

“Há uma região beneficiada com este pagamento. São 256 milhões de euros e o senhor tem o descaramento de dizer que eu trato mal a Madeira. Apenas porque o Estado decidiu financiar o cumprimento das dívidas que a região autónoma da Madeira tinha”, disse José Sócrates.

O primeiro-ministro referia-se ao programa aprovado em conselho de ministros no domingo, segundo o qual o Governo irá pagar nos próximos três meses 1200 milhões de euros de dívidas da administração central e, "a curto prazo", 1250 milhões de euros de dívidas da administração regional e local às empresas.

Sócrates respondia ao deputado do PSD Hugo Velosa que tinha acusado José Sócrates de “tratar a Madeira de forma sectária”.

“A região autónoma recebe por ano menos 200 milhões de euros [de transferências orçamentais]. O que é uma discriminação clara. Quando é que deixa de tratar a Madeira de forma sectária e como secretário-geral do PS e a passa a tratar como primeiro-ministro?”, questionou o deputado social-democrata.

No debate do Orçamento do Estado para 2009, José Sócrates rejeitou que a Região Autónoma da Madeira esteja a ser prejudicada, desafiando o PSD a dizer “qual é o artigo da lei de finanças regionais que não está a ser cumprido” e a olhar para “os discursos e palavras usadas” na Madeira para atingir os adversários.

“Se o senhor deputado olhasse para os métodos, as interjeições e os discursos e as palavras usadas na Região Autónoma da Madeira para atacar os adversários políticos, isso é que empobrece a democracia”, considerou José Sócrates.

Fonte: LUSA

Alexandre Fernandes disse...

Não é só o sistema político americano que não é uma democracia. Quem julga que os EUA são a tal terra da liberdade imortalizada pela generosa oferta da França por altura do centenário da independência dos ingleses (Estátua da Liberdade - tb temos uma), está profundamente enganado. Se por algum motivo protestas na rua , és logo detido; não podes nem pensar em ser comunista, és detido e "re-educado". Vasculham toda a tua vida e dos teus e perdes o direito a trabalhar em qualquer departamento oficial. Tens algo contra o governo federal/estadual/municipal(county), estás logo feito ao bife. Isto para não falar em muitos outros exemplos que vos poderia dar.