segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Desenvolvimento sustentável !?


Juvenal Rodrigues in DN (Madeira)


10-01-2007



Resposta aos ofendidos

Embora não me sinta directamente visado com a Carta do leitor do sr. Manuel Gomes em 05-01-07 e posteriormente do sr. Francisco Macedo em 08-01-07, uma vez que não referem o meu nome nem sequer o título do meu artigo de 03-01-05, nesta página do D.N., dá para perceber que os senhores a ele se referem. Embora tentasse ignorar o primeiro por achar que os argumentos usados eram fracos e incoerentes e não rebatiam um único ponto das minhas afirmações, já com o segundo achei que deveria responder (por serem 2). Embora os argumentes dos dois padecessem das mesmas enfermidades resolvi responder agora aos dois porque faço o chamado 2 em 1 e assim deixo mais espaço para os leitores deste espaço do D.N. Saibam os senhores que estarei disposto a conversar convosco quando aprenderem a diferença entre desenvolvimento sustentado e desenvolvimento selvagem ou caótico. O que é endividar a Madeira, apenas fazendo contas ao presente, ao ponto de deixar dívidas monstruosas para os nossos filhos e netos estarem a pagá-las daqui a 50 ou mais anos, demonstrando uma atitude egoísta sem paralelo. O que é fazer obras pelo dobro do preço para que estas estejam concluídas em vésperas de eleições. O que é ter os transportes marítimos mais caros da Europa que nos obriga a comprar tudo mais caro que os portugueses do Continente e dos Açores ou os aéreos que nos obrigam a pagar cerca de 200? por uma passagem de avião daqui para Lisboa (um absurdo) e com a agravante de desviar o turismo (a única verdadeira fonte de receita que a Madeira mantém apesar do desenvolvimento que os senhores apregoam) para destinos mais baratos. Parece que o 2º senhor já esteve nos Açores ( parabéns, é um a pessoa bastante viajada) e interroga-se se eu alguma vez lá estive mas não contesta uma única das minhas afirmações (ordenado mínimo superior ao nosso, impostos mais baixos, alimentação e viagens mais baratas, etc.), o que significa que tanto o Sr. Manuel Gomes como Sr. Francisco Macedo as aceitaram como verdadeiras. Não sei se são pessoas endinheiradas que pertencem ao povo superior, nem isso interessa, o que importa saber é: de que serve a população madeirense ter melhores infra-estruturas se não tem posses financeiras para utilizá-las como, por exemplo, passear de automóvel nas nossas boas estradas ao preço que estão os combustíveis, e façam figas para que o pagamento das portagens, para pagar dívidas, não seja em breve uma realidade como o são as taxas aeroportuárias. Perceberam agora a diferença entre desenvolvimento sustentado e desenvolvimento caótico e sem sustentabilidade? Existem cursos de formação. Numa nítida falta de cultura democrática (quem tem opinião diferente da sua deve ir para Lisboa) e pouco conhecimento de factos o 1º senhor ainda deve estar a rir de si próprio. Quanto ao 2º diz que eu deveria ter vergonha na cara só porque penso de modo diferente, mas quem deveria tê-la era o senhor por tamanha falta de coerência já que enaltece a nossa terra por ter atingido um alto grau de desenvolvimento (foi também enganado pelo PIB) e afinal a nossa população tem piores condições de vida da terra que ele diz ser muito inferior e que ainda tem aviões para servir a Madeira. Caros senhores, saibam que sou madeirense de gema, amo a minha terra e não estou contra o seu desenvolvimento, e é com esse espírito que critico o que acho que está malfeito. Não sou daquelas pessoas que, num cego fanatismo, idolatram o Sr. Presidente do Governo Regional como se ele fosse um deus que nunca se engana e tem sempre razão. O Sr. Francisco demonstra ser uma pessoa sem ideias que apenas procura um líder forte e carismático que o conduza, daí a elogiar freneticamente o Sr. Presidente e a obra feita. Pergunto-lhe simplesmente: conheceu outro Presidente do Governo Regional na Madeira nos últimos 30 anos a fim de poder estabelecer um paralelismo minimamente aceitável? Reflicta sobre isso.

3 comentários:

BaBy_BoY_sWiM disse...

"a pagar cerca de 200? por uma passagem de avião daqui para Lisboa" --> É basicamente o mesmo que um açoreano paga para ir a Lisboa... Onde está tanto espanto dos preços... o problema é dos aeroportos... da ANA, da ANAM... e da TAP e SATA!

BaBy_BoY_sWiM disse...

Gostaria que publicasse um post acerca disto... Espero que possa responder ao meu desafio: http://madeiraminhavida.blogspot.com/2007/09/se-eu-fosse-o-presidente-do-gr.html

Carlos disse...

Gostei da carta nalguns aspectos. É um facto que muitos defendem cegamente o sr. presidente. Outros estabelecem uma certa imparcialidade mas vêm um balanço positivo na política governativa. Se calhar encaixo-me nesses.
Não se pode nunca afirmar que os que gostam do presidente estão todos no catálogo de ceguinhos e submissos.
Vejo tb má vontade e pouco bom senso em algumas criticas. Sempre escrevi para jornais com opiniões sobre alguns temas da sociedade. Alguns com conotações políticas. Nunca me chegou uma carta a casa ameaçando de morte ou nunca tive uma espera de rua ou outro tipo de aviso que me impedisse que continuar a escrever e dar a minha opinião. Em muitas fui bem recebido e interpretado pelo contributo dado e sobretudo pela forma digna de como me apresentei e à minha opinião. Bons resultados obtive, outros nem tanto mas as coisas têm de levar tempo.
Mundo perfeito não existe, mas com inteligência, podemos nos aproximar dele.
Tou a fugir um pouco ao tema. Perdoem-me!
Em relação às viagens, Açores-Lisboa é mais caro que Madeira-Lisboa e mesmo Madeira-Porto.
Já agora, que pensará este Juvenal acerca do monopólio da TAP? Ou deverei dizer, sacanagem de uma empresa do Estado?
Afinal, sempre há portugueses de segunda.