terça-feira, 15 de janeiro de 2008

ACIF: Anthony Miles e Francisco Santos


Anthony Miles in DN (Madeira)

Pedido de esclarecimento ao Dr. Francisco Santos
Data: 26-04-2007

Sendo V. Exª actualmente uma espécie de eminência parda do regime jardinista e, como tal, figura omnipresente na comunicação social, onde emite opinião sobre tudo o que mexe, é do interesse público que os madeirenses possam perceber a sua actuação. Nesse sentido, solicitamos que V. Exa esclareça aos madeirenses: Em que dias e horas é V. Exa Director do BCP? Em que dias e horas é V. Exa Presidente da ACIF? Em que dias e horas é V: Exa propagandista do PSD? Agradecidos. Esclarecimento: Fui presidente da ACIF durante 2 mandatos 1997/2000 e 2000/2003 deixando de ter qualquer cargo associativo desde então, e fiquei surpreendido ao ver o meu nome referido no âmbito da actual campanha eleitoral por parte do Presidente demissionário do Governo Regional, como presidente da ACIF de então. As declarações proferidas foram difundidas pelos meios de comunicação social nos dias 22 e 23 do corrente, lançando suspeitas e insinuações infundadas que atingem o bom nome, prestígio e integridade da ACIF-CCIM e abrangem a minha integridade e honestidade, bem como a de todos os outros membros das duas direcções a que presidi. Neste sentido venho esclarecer o seguinte: Não sendo o presidente demissionário do GR associado da ACIF não lhe reconheço a legitimidade de fazer afirmações sobre assuntos que são do foro único e exclusivo dos associados desta, para efeitos de aproveitamento político. Durante a vigência dos meus dois mandatos, institui a prática de auditar as contas por uma entidade independente, prática que foi levada a cabo até deixar a presidência. A veracidade e transparência dos valores apresentados foram validados pelos auditores. As contas da ACIF/CCIM dizem respeito só e unicamente aos Associados da ACIF. Assim sendo, foram presentes aos associados no fim de cada exercício e aprovadas em Assembleia Geral por unanimidade. Afirmações e interrogações infundadas têm o mesmo valor de cartas anónimas, e não dignificam quem as produziu, faltando ao respeito pessoal e institucional daqueles que voluntariamente serviram com rigor, isenção e profissionalismo a Associação e a Câmara de Comércio, com o único objectivo de honrar os estatutos da Associação, nomeadamente promovendo e criando valor para a economia regional, servindo os interesses dos Associados no âmbito da iniciativa privada.

Um comentário:

BaBy_BoY_sWiM disse...

O seu partido parece seguir as suas "indicações" repare na proposta dos 15% que uma vez referiu... Lembra-se?!

Disse ao seu irmão?! eheheh