segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

O 1º e o 4º poder

Bengalas in DN (Madeira)
Data: 10-07-2007


Toda a gente sabe que a principal função das bengalas é o apoio para se caminhar. As bengalas a que me refiro dão pelos nomes de RDP e RTP/Madeira. De facto estas duas empresas têm definido no seu estatuto que as suas funções são serviço público de rádio e televisão e escusado será dizer aqui que estes dois serviços públicos estão obrigados ao rigor, à competência e à isenção. Numa terra onde o mesmo partido político governa há cerca de 30 anos, onde muita gente afirma publicamente que nas eleições não sabem para o que é que vão votar e sabendo-se que as principais armas do partido no poder são a manipulação e a propaganda, o comportamento da RDP e RTP/M cá da terra tem sido de uma ajuda preciosa. Alguma vez a RTP/M fez um programa que fosse incómodo para o governo regional? Costumam fazer programas de informação onde sejam abordados assuntos relacionados com as trapalhadas do governo da região e câmaras municipais? Costumam esclarecer os madeirenses, como é seu dever, das várias situações polémicas que vão surgindo na ilha e que a todos nós diz respeito? Já fizeram alguma reportagem em que perguntassem aos cidadãos madeirenses qual a sua opinião sobre os elevados subsídios que são dados anualmente ao jornal do partido no poder, cuja função é apenas e só fazer propaganda do governo e do partido, e se concordam que os seus impostos são para pagar um jornal de propaganda? Será que já realizaram e mostraram um programa em que perguntassem aos madeirenses qual a sua opinião e se acham normal termos empresários/deputados e negócios entre eles e o governo regional? Vou referir uma situação passada há cerca de 3 meses na RTP/Madeira que tive a oportunidade de verificar e que vem demonstrar que de facto esta televisão não é isenta nem é para ser levada a sério:Assisti ao programa de fim-de-semana (compacto) da Contra Informação no canal 1 da RTP. Como gostei e achei piada sugeri lá em casa que vissem o referido programa que na RTP/M seria transmitido no domingo à noite. Assisti junto com a família ao referido programa, mas a RTP/M censurou, cortou parte do programa, porquanto a paródia era relacionada com o grande timoneiro cá da terra. Quando esta televisão que temos censura um programa de divertimento, imagina-se o resto. Mas também se sabe que quem lá tem cargos de chefia, quando se vão embora acabam em assessores no governo regional.

3 comentários:

Alexandro Pestana disse...

Meu amigo, escrever aqui apenas não basta. Porquê não começam a mandar queixas a Entidade Reguladora da Comunicação social (erc) e ao Instituto da Comunicação Social (ICS)? Eles existem para receber queixas e cá na Madeira as coisas só se resolvem assim: "À batatada". Basta ir ao site deles na net e tirar as moradas e mandar as queixas para lá e para o provedor do telespectador da RTP também e inclusive a administração da RTP em Lisboa.

amsf disse...

Tem razão. Recentemente o Provedor do telespectador demonstrou alguma estranheza por ter recebido apenas duas ou três queixas provenientes da Madeira.

Páginas Amarelas disse...

Já tive o disprazer de assistir à retirada de dois jornalistas da RTP-M de onde estava a decorrer um debate prévio a uma manifestação (sobre a destruição das ondas, ideais para a prática do surf, no Jardim do Mar). Foram fazer a reportagem mas, como a sala estava cheia (mais de cem pessoas), decidiram não filmar e foram-se embora.