quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Madalena crucificada

As obras de construção da Variante à Madalena do Mar estão a começar e tudo indica que esta freguesia ficará parcialmente isolada. Afirmo-o porque tenho em mente a obra de prolongamento da actual Promenade da Banda d`Além. Esta obra prolongar-se-á, se for concretizada, ao longo de todo o litoral até à extremidade da freguesia (Sítio do Passo ou Paço). Tal infraestrutura será feita parcialmente sobre o calhau mas também sobre parte da faixa sul da Av. 1 de Fevereiro (marginal). Esta solução técnica significará que o trânsito passará a processar-se num único sentido. Se já está definido o sentido eu desconheço qual seja mas parece-me que será Leste - Oeste (Passo-"Vila"). De qualquer das formas os habitantes da Madalena do Mar ao dirigirem-se a qualquer ponto da freguesia de automóvel estarão condenados a terem que ir ao Arco da Calheta pela actual Viaexpresso e inverterem a marcha para regressarem às suas casas pela Variante.

Os próprios estabelecimentos comerciais (restaurantes e cafés) verão a sua clientela, exterior à freguesia, seguir sempre em frente em direcção à Calheta.

O prolongamento da Promenade a ser feito parcialmente sobre a faixa sul da estrada é positivo pois não destruirá a totalidade do calhau e salvaguardará parcialmente essa infraestrutura das ondas no inverno. Esperemos que efectivamente não ocupem a totalidade do calhau com a Promenade ou com estruturas para a sua defesa.

Tendo em conta os anúncios (JM de 22 e 23 de Out 07) relativos às expropriações não me parece que vá ser feito qualquer acesso à Variante a partir da extremidade Oeste da freguesia. A saida da Variante que se pode ver no mapa como ficando do lado Leste da "vila" parece ser um túnel de segurança que normalmente fica encerrado ao trânsito.

Tendo em conta que as obras foram iniciadas já vai sendo tarde para que a população reivindique um acesso à Variante no lado Oeste ou Leste da Ribeira da Madalena do Mar.

Esta pretensão pode parecer um luxo em tempo de vacas magras mas a escassez de tempo que sentimos no dia a dia, os preços dos combustíveis sempre a aumentar e a questão ambiental associada à ida ao Arco da Calheta para fazer inversão de marcha podem ser justificações razoáveis para reivindicar esse acesso.

Por razões políticas e psico-sociais a Junta de Freguesia da Madalena do Mar é a instituição mais bem posicionada para liderar esta reivindicação. Se não souber cortar os laços de subserviência ao Governo Regional corre o risco de hipotecar o bem estar da população a quem tem o dever de servir!
Se nada for feito, a população da Madalena do Mar, para circular na sua freguesia terá que ir sistemáticamente ao concelho vizinho fazer inversão de marcha!

3 comentários:

BaBy_BoY_sWiM disse...

De certeza que existe alternativa... e Junta deverá encontrar alternativa...

Alexandro Pestana disse...

Se isto é mesmo verdade. Acho gravíssimo. É típico de engenheiros de meia-tigela que fazem projectos lá nos escritórios no Funchal sem todos os estudos de impacto social e económico. Todas as obras das sociedades de desenvolvimento são assim. Primero são feitas, depois é que se vê que há que rebentá-las ou remendá-las para corrigir os abortos feitos...

Mazzola disse...

Bom dia pessoal! Tá fresquinho e é de hoje: lapas a 6 € e polvos a 8 €. mazzola@gmail.com