segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Pico petrolífero e Governo Regional


Marco Mascarenhas in DN (Madeira)
10-01-2007

Combustíveis alternativos

Em Dezembro, descobri com agrado que os madeirenses estão a aderir, e ainda bem, à reciclagem. Aos valores apresentados, no entanto, deve-se entender que se é verdade que alguns se esforçam por cumprir a sua obrigação, digo obrigação, porque é um dever de cidadania, outros fazem-no muito pouco e muitos outros, népias. Ao ler o artigo que dava conta de tais resultados, veio-me à memória um outro que por certo li há mais de um ano, em que a mesma empresa que agora apresenta estes resultados, falava dos planos para iniciar a recolha de óleos usados e utilizá-los para a produção de biodiesel. Eu, curioso que sou, gostaria muito de saber se ainda falta muito. Acho uma pena que o próprio Governo Regional não faça desta questão um objectivo prioritário. Porque é que não investe em combustíveis menos poluentes do que os tradicionais e mais baratos? Dê o exemplo! Automóveis movidos a biodiesel, GPL, gás e hidrogénio são alternativas económicas em termos de custos de combustível. E amigas do ambiente! Bastaria parte da extensa frota do Governo Regional aderir a tais combustíveis que o negócio poderia tornar-se uma realidade que permitisse aos privados investirem nesta alternativa e beneficiasse os restantes condutores. Seria porventura um investimento que beneficiaria muito mais do que alguma marina e estádio de futebol juntos, e com utilidade comprovada. E um investimento destes, não necessita sequer de qualquer tipo de engenharia financeira!.

6 comentários:

BaBy_BoY_sWiM disse...

GPL é mais perigoso... Por exemplo em parques interiores nunca se pode colocar um carro desses... Olhando para o cenário que é a Madeira são poucos os parques que são ao ar livre... E além do mais esses carros também necessitam de gasolina para o arranque (eu que o diga que já conduzi um desses carritos)...

Quanto aos outros combustiveis não era má ideia, contudo ia deixar cá um fedor pelas ruas da cidade que era muito mau, ainda para mais para uma ilha como a nossa turistica...

il _messaggero disse...

Uma sustentabilidade energética menos dependente do petróleo faz todo o sentido numa região pequena como a Madeira...as alternativas apresentadas são algo dispendiosas, mas vendo o desperdício feito em obras de fachada e que se revelaram verdadeiros elefantes brancos, faz pensar que outra estratégia já deveria ter sido seguida...

Olhemos para o exemplo dos Açores que depois de anos de estudo estão a começar a aproveitar em pleno as potencialidades da energia geotérmica, tendo já 2 centrais de grande capacidade, sendo 40% da energia consumida em s. Miguel desta proveniência - basta ler os jornais de ontem (25-11) para constatar tal facto.

A recolha selectiva de lixo poderia ser maior, mas é de congratular o facto de sermos de longe a região do país mais evoluída neste aspecto - embora longe das metas preconizadas por bruxelas, sendo que a partir de 2011 passaremos - leia-se estado português, a pagar elevadas multas por tal facto.

amsf disse...

O cidadão comum quando fala de combustíveis fala de preços e da carga fiscal (ISP) sobre os mesmos. O mais esclarecido vai mais longe e pensando nas consequências ambientais defende a utilização de combustíveis alternativos (os biocombustíveis por exemplo) . São poucos os que "pensam" no fim dos combustíveis que actualmente fazem girar o mundo; o petróleo e o gás.
Neste momento não vejo soluções científicas para este problema pelo que seria recomendável para a Madeira apostar cada vez mais nas energias renováveis (energia solar, eólica, das ondas, biomassa, etc). A haver um retrocesso civilizacional não será por razões ambientais mas por razões energéticas.

Alexandro Pestana disse...

Acho que isso do biocombustível e as renováveis era muito bom para a Madeira, só que há interesses económicos que falam mais alto... Um carro a gas natural gripava logo na Madeira porque as subidas e descidas ingremes das estradas não ajudam nada.

O proximo projecto megalómano do pê-pê-deia para amamentar as empresas de construção civil que andam com a bandeirinha deles vai ser um metro ou TGV de uma ponta a outra da ilha.... lol

Anônimo disse...

O QUEÉ ENGENHARIA FINANCEIRA?

amsf disse...

Anónimo

Vai depender do contexto. Normalmente tem o significado de contrair empréstimos de forma encapotada...ou protelar o pagamento de dívidas de forma igualmente encapotada...como já disse depende do contexto.