terça-feira, 27 de novembro de 2007

Trabalho natalício

Maria Sousa in DN (Madeira)

09-01-2007
Sugestões políticas


Finalmente chegámos a Janeiro! O Ano Novo chegou e com ele os nossos merecidos dias de descanso. É verdade que muitos de nós, funcionários do comércio, passámos horas às 'moscas', mas o horário tivemos de o cumprir. No mês de Dezembro, deixámos os nossos filhos ao 'deus-dará', a cargo dos familiares idosos e por vezes doentes, isto para quem os tem e que damos graças a Deus por nos poderem ajudar nesta altura, porque o nosso governo e assistentes não pensam nisso, pois têm todo o tempo do mundo com folgas e tolerâncias no serviço e assim não falta a assistência aos filhos e netos. Na nossa casa não foi necessário fazer limpezas, arranjos de Natal, os nossos familiares não tiveram prendas porque não houve tempo para as comprar, isto devido ao facto de que até ao fim do mês de Novembro o dinheiro não chega para extras e quando vem o subsídio, não há tempo para as compras, pois saímos do emprego à mesma hora. Não temos tempo para receber nem fazer visitas, porque dias 25, 26 e 27 estamos exaustos e sem paciência. Resumindo, os licores, as broas, os salgados, as carnes, o peixe e os legumes para os almoços e jantares de família não foram necessários comprar. Por isso, com toda esta economia nas compras de Natal e mais horas extras que vamos receber, temos muito dinheiro para férias, por exemplo: Brasil e aí sim! Aproveitamos para fazer as compras. Os patrões honestos pagaram o justo valor e ficaram de bolsos vazios... mas satisfeitos! Os que não pagaram, não se fiquem a rir porque "Deus não dorme". Quando o Sr. Presidente do Sindicato do Comércio comentou que o horário extra não era pago correctamente por certas Entidades Patronais, o ex-Presidente da ACIF, em resposta, disse que nunca ouviu falar desses casos. Mais uma vez, o velho ditado entra em vigor "o pior cego é aquele que não quer ver". Sugerimos à Câmara e ACIF que para o fim deste ano consigam abrir o comércio com o mesmo horário das grandes superfícies, porque assim os Senhores Doutores e restante pessoal com Horário Nobre têm mais tempo para gastar, mas infelizmente não gastam no comércio do Funchal. A Câmara fecha estradas dentro do Funchal, os estacionamentos estão pela hora da morte, escorraçaram o cliente do comércio tradicional e agora querem contentar os empresários do Funchal com um simples horário alargado e alguma animação nas ruas. Não vêem que isto é só fachada para animá-los? Cada ano que passa é pior que o outro e continuam a acreditar no Pai Natal. Bem-haja o Cónego Martins, que teve a coragem de falar em público a verdadeira realidade da nossa cidade, é a bonita fachada que nos impõem, escondendo, atrás disso, a pobreza e a necessidade de trabalhar e para isso sujeitam-se ao horário alargado, sem remuneração para não perder o emprego que têm para o resto do ano, que entrou com aumentos em todos os bens essenciais e indispensáveis à nossa sobrevivência. Por agora desejo Força e Saúde a todos, para conseguirmos dar a volta a esta situação crítica, tanto para patrões como para funcionários.

2 comentários:

Richard disse...

Apenas uma sugestão: em vez de «PensaMadeira.blogspot.com» que tal «cartasdoleitorDN.blogspot.com»?

amsf disse...

Desde já agradeço a sua crítica "construtiva"! Se lhe interessa assim tanto o que eu penso poderá percorrer os blogs a aqui referenciados e encontrará alguns dos meus comentários.
O objectivo deste blog era dar voz àqueles que comentam na blogosfera de forma interessante no entanto são poucos aqueles que o fazem. Tive que dar voz aos que recorrem a outros meios para se expressarem. Não precisará de escrever uma carta do leitor para ver aqui publicado o seu pensamento. Basta que o faça num dos blogs por mim frequentado.